segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Uma folha somente

Se eu não posso voar
que eu seja uma folha ao vento
sem paragem alguma,
senão em socorro aos tormentos,
com seus viveres de amargura...
Que eu não tenha cara, formas 
ou qualquer figura
a causar apegos na ventura...
Não, não quero ser anjo,
Repito, uma folha somente
a abanar a dor de quem as sente...
E que eu seja bem verdinha
a repassar esperança 
a quem entregue definha...
Também que eu seja de certeza 
o bom exemplo,
quão as fases da menina lua
minguando, renovando, crescendo
bem cheia a iluminar a rua...
Sim uma folha eu queria ser
esvoaçando aos ventos,
pelos tempos a viver...