sábado, 15 de fevereiro de 2014

Reciclando...

Algumas folhas 
 me servirão de vigas 
para o sustento do meu teto, 
um arvoredo iluminado, 
o descanso sob céu aberto... 
Outras tantas não me servem 
lixo dos meros rabiscos que fiz, 
propósitos enganosos, 
a julgar que podia ser feliz... 
Outras páginas então reciclo 
em queima de fogo, 
luminária para as noites frias 
no aconchego do meu corpo... 
Esta outra me rende uma saia 
a servir-me de consolo 
quando as lembranças 
se fizerem em vaias, 
para que eu não erre de novo... 
Ainda tem mais 
 as que desdobram cansaço, 
oferendas dos meus despachos, 
e incrementos de sonhos 
o que ainda suponho, 
mas não sei... 
Depois, depois eu penso 
no pesar do tempo 
 quando toda a minha história 
em solo, recantarei...